Monday, April 20, 2009

a calmaria e o trabalho que antecedem o verão...





Estas são algumas fotos do Upper Hamlet (na foto ao lado, o sino de atividades que nos põe a par do programa do dia e nos ajuda a retornar à nossa respiração, manter a plena consciência -- e a pontualidade!) Neste conjunto de fotos, os dias tranquilos porém laboriosos que antecedem o início do Retiro de Verão:





Cheguei, estou em casa, na caligrafia do Thây -- ouço essa canção tocando na minha "Rádio Mente" todas as vezes que adentro o Hamlet, que continua: ... no aqui e no agora, eu sou forte, estou livre...




para saudar a todos, a majestosa tília frondosa, que nos oferece sombra no calor, flores para o chá, a maravilhosa música das abelhas que a visitam para colher pólen, ou a melodia das gotas que dela pingam em cascata, de folha em folha num longo caminho até o chão, depois das chuvas, quando o orvalho ou a geada derretem -- é como se tudo evolvesse ao redor dela no Upper Hamlet


estas são as flores da tília -- quantas vezes com uma tigela de água quente caminhei até a árvore, com a paz nos meus passos, agradeci a oferenda e colhi alguns botões... e em segundos a água estava perfumada e doce como se ali tivesse mel, pronto o delicioso chá de tília... Algumas vezes tomei o chá misturado às minhas lágrimas, vendo as nuvens refletidas na superfície dele, tantas as formas para uma água só... Como nos diz o Thây, beber chá é beber nuvens... Vi isso tão claramente! Recordo-me de uma das meditações do trabalho mais especiais, quando numa tarde fresca, por duas horas fiquei colhendo as flores da tília, que começavam a perecer -- para que pudéssemos conservá-las secas e depois oferecer aos participantes do Retiro de Verão, para que eles também desfrutassem desse chá delicado e feliz... Trabalhei com amor colhendo a poesia das flores da tília para o chá da Sangha



junto à tília fica o Stone Building, uma das construções originais deste Hamlet, que já abrigou inúmeros praticantes em seus muitos quartos -- e até o próprio Thây, que no início teve ali o seu quarto, onde escreveu o livro Velho Caminho, Nuvens Brancas (leia alguns trechos aqui...), sua excelente biografia do Buda



um detalhe da lateral do Stone Building: onde mais a entrada para um banheiro público se cobriria de verde e de flores? Estamos em Plum Village!



o bambuzal junto ao Stone Building, sempre um refúgio de paz, e de frescor nos dias mais quentes



um ritual de chegada e boas vindas é o passeio pelos jardins, esverdeando-se depois das primeiras chuvas, com suas belas pedras que bem servem de almofada de meditação... Aqui, o jardim é também um Salão de Meditação



enquanto Thây medita em sua Cabana do Sentar na Calma, aqui no Upper Hamlet...



a livraria se prepara e se abastece com livros do Thich Nhat Hanh em todos os principais idiomas europeus, com caligrafias desenhadas pelo mestre, com sorvetes e alimentos orgânicos, tanto trabalho e dedicação dos Irmãos...


as estufas, onde tudo se cultiva organicamente, estão a plena carga, trabalho cuidadoso e dedicado dos Irmãos que cuidam da horta, verdadeiros bodhisattvas dando passos de paz enquanto cultivam amor e vegetais...


e os vegetais sendo preparados para mais uma refeição, simples e deliciosa, simplesmente deliciosa...


na cozinha, ainda vazia e limpa...


é raro encontrar alguém pelos caminhos, mesmo que seja na principal trilha da meditação caminhando, pois há tanto espaço para explorar



no final do caminho da foto acima, chegamos a este campo com um pequeno bosque, local preferido de meditação de muitos praticantes... Na primavera, a grama está alta e precisamos apará-la antes das famílias e crianças chegarem para o Retiro de Verão...



muitos quilômetros lineares de gramados são aparados e rastelados, sendo a meditação do trabalho mais frequente nos dias que antecedem o Retiro de Verão, da qual participam igualmente os monásticos e os laicos


então montamos as primeiras de muitas tendas


o Irmão trabalha num canteiro de flores, com o prédio da Sala de refeições ao fundo


estes amplos jardins tranquilos em breve irão acolher os participantes do Retiro de Verão...


o gramado recebe as inúmeras famílias do Compartilhar do Dharma, entre as quais os praticantes se dividem por língua e outras afinidades eletivas... começa mais um Retiro de Verão!

3 comments:

  1. Que coisa boa passar um tempo por lá não? Aguçou minhas saudades. A Tília, os jardins, as trilhas onde fiz meditação caminhando conduzida por Thay, a maravilha da honesta simplicidade e a cozinha deliciosa.
    obrigada pelo site!
    bjs,
    Ayako

    ReplyDelete
  2. Bom matar as saudades de lé. Realmente um lugar encantador e transformador. Estive no outono e aprendo muito sobre impermanência apenas olhando a paisagem do verão.
    Obrigado Marcelo.

    Leo

    ReplyDelete